FASHION REVOLUTION É UM MOVIMENTO GLOBAL QUE LUTA POR UMA INDÚSTRIA DE MODA MAIS JUSTA, SEGURA, LIMPA E TRANSPARENTE.

Porque precisamos de uma revolução?

A 24 de abril de 2013, o edifício Rana Plaza, no Bangladesh, entrou em colapso. 1.138 pessoas morreram e outras 2.500 ficaram feridas, tornando-se o quarto maior desastre industrial da história.

Foi quando nasceu a Fashion Revolution.

Havia cinco fábricas de roupas no Rana Plaza, todas fabricavam roupas para grandes marcas globais. As vítimas eram na sua maioria mulheres jovens.

Na crença de que é preciso mudar esta realidade, o movimento ativista nasceu para nos fazer questionar: Alguma vez já se perguntou quem fez as suas roupas? Quanto é que recebem e como são as suas vidas?

As nossas roupas fizeram uma longa viagem antes de chegarem às prateleiras das lojas, passando pelas mãos de cultivadores de algodão, fiandeiros, tecelões, tintureiros, esgotos e outros.

Aproximadamente 75 milhões de pessoas trabalham para fazer as nossas roupas.

80% delas são mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos, algumas vezes menos ainda.

No entanto, a maioria das pessoas que faz roupas para o mercado global vive na pobreza, incapaz de pagar as necessidades básicas da sua vida. Muitos estão sujeitos à exploração; abuso verbal e físico, trabalhando em condições inseguras e sujas, com um salário muito baixo.

Hoje, tanto as pessoas como o meio ambiente sofrem como resultado da forma como a moda é feita, obtida e consumida.

 

Isto precisa de mudar.

 

Actualmente, a maior parte do mundo vive numa economia capitalista. Isso significa que as empresas devem aumentar o crescimento de vendas e obter lucros para ter sucesso – mas, fundamentalmente, não às custas das condições de trabalho, saúde, meios de subsistência, dignidade e criatividade das pessoas e, seguramente não às custas da natureza.

Resumidamente, ao sermos todos consumidores, somos todos responsáveis pelo impacto desta indústria na vida das pessoas e na natureza.

A Fashion Revolution acredita numa indústria da moda que valoriza as pessoas, o planeta, a criatividade e o lucro em igual medida e onde a mudança positiva começa com transparência, rastreabilidade e abertura.

É impossível para garantir que os direitos humanos sejam respeitados e que as práticas ambientais sejam seguras sem saber onde os nossos produtos são fabricados, quem os está a produzir e em que condições. É essa informação que se pede às marcas e retalhistas para que divulguem publicamente.

 

A transparência, por si só, não representa a maior mudança sistémica que gostaríamos de ver para a indústria da moda – mas ajuda-nos a chegar lá. A transparência ajuda a revelar as estruturas no local para que possamos entender melhor como alterá-las. A transparência ilumina questões frequentemente mantidas no escuro.

Acreditamos que mais transparência levará a uma maior responsabilização, o que eventualmente levará a uma mudança na maneira de fazer negócios. É um primeiro passo importante para uma mudança positiva.

É por isso que, durante a Fashion Revolution Week, encorajam o maior número possível de pessoas a perguntar #whomademyclothes?

Esta é a missão em que acreditamos: de que para acontecer mudança, todos temos de fazer algo.

A Fashion Revolution Portugal é um dos parceiros da DOME Store desde o início: são dois projectos com a missão de criar mudança na forma como consumimos.

Entre 23 e 29 de Abril irão acontecer várias iniciativas a nível global, as iniciativas locais podem ser acompanhadas na página da Fashion Revolution Portugal.

Iniciativas a acontecer em Lisboa

Iniciativas a acontecer no Porto

Iniciativas a acontecer na Covilhã:

 

Faça parte desta Revolução.

Imagens e texto adaptado de:fashionrevolution.org

 

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>