Para além das marcas que já têm certificação de Comércio Justo, na D.O.M.E. também temos projectos de menor escala que seguem os mesmos princípios no seu dia-a-dia, e que estão ainda no processo de crescimento!

Poderá ser novo nisto ou pode já saber de cor cada um dos princípios do Comércio Justo e o seu significado: seja qual for o caso, compilámos aqui um guia para que possa aprender ou apenas refrescar a memória!

A organização oficial que promove mais justiça nas práticas comerciais (Organização Mundial do Comércio Justo, ou WFTO – World Fair Trade Organization) reuniu uma lista de princípios para todos possam compreender que áreas têm de ser apuradas para verificar se uma marca está no bom caminho ou apenas a comunicar algo que tenham feito bem no meio de práticas pouco justas!

Então, aqui vamos:

O Comércio Justo refere-se a um movimento social Global que promove outra forma de comércio baseada em diálogo, transparência, respeito e justiça . Ele contribui para o desenvolvimento sustentável por oferecer melhores condições comerciais e garantir os direitos dos pequenos produtores e trabalhadores desfavorecidos, especialmente nas regiões a sul.

Fair Trade vai além do comércio: isso prova que uma maior justiça no comércio mundial é possível. Destaca a necessidade de uma mudança nas regras e práticas do comércio convencional e mostra como um negócio bem sucedido também pode dar prioridade às pessoas.

 

Princípio Um: Oportunidades para Produtores Desfavorecidos

Um dos grandes objectivos é a redução da pobreza através do comércio.

Isto significa apoiar pequenos produtores marginalizados, sejam negócios de família ou agrupados em associações ou cooperativas. Isto faz com que possam evoluir para a sua autonomia financeira e consigam desenhar o seu futuro.

Princípio Dois: Transparência e Responsabilidade

Isto significa transparência na gestão e relações comerciais: a organização compromete-se a comunicar a todas as partes interessadas ao mesmo tempo que respeita a confidencialidade da informação partilhada. Nas tomadas de decisão, todos são envolvidos: funcionários, membros e produtores.

Esperamos que este artigo tenha sido esclarecedor!

Tem curiosidade em saber mais? Veja aqui e aqui a continuação deste artigo.

Imagens: wfto.org

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>